No Censo 2010, mais de 190 mil recenseadores visitaram 67,6 milhões de domicílios nos 5.565 municípios brasileiros. Neste site você encontra as informações sobre todas as etapas de realização do Censo 2010, com destaque para os resultados da pesquisa.

Está em curso, no IBGE, uma transformação de grandes dimensões nos seus métodos de trabalho e o principal benefício, que já começa a ser disponibilizado aos usuários, é o aumento do potencial analítico das informações estatísticas através de dados cada vez mais interativos e espacializados.

Essa transformação está sendo obtida pelo aproveitamento de novas tecnologias e sua rápida absorção nos projetos da Instituição. Os Censos 2007 produziram não apenas os resultados da Contagem e do Censo Agropecuário, mas também um legado de grandes proporções de informações espacializadas.

Dessa forma, o Censo 2010 obteve mais avanços:

  • Uma base territorial que saiu do modo analógico para o digital, integrando a base urbana, rural e o Cadastro de Endereços.
  • A utilização do computador de mão ampliou a capacidade de investigar novos temas e obter maiores garantias de qualidade.
  • O computador de mão permitiu estender o questionário para populações específicas (indígena, por exemplo).
  • A incorporação do Cadastro de Endereços, que já alimentava algumas pesquisas amostrais como PNAD, POF e o projeto Sistema Integrado de Pesquisas Domiciliares - SIPD1, e que permitirá também a utilização da Internet para responder a determinadas pesquisas.

1A partir da construção de uma infraestrutura amostral, permitirá conduzir todas as pesquisas do sistema.


A Base Territorial para o Censo 2010 foi uma base única, integrando as vertentes urbana e rural, onde o País foi mapeado e dividido em setores censitários. Para cada setor, foi designado um recenseador que visitou os domicílios e entrevistou os moradores.

Dentro dos aperfeiçoamentos do Censo 2010, o IBGE migrou a Base Territorial e o Cadastro de Endereços para um ambiente gráfico estruturado em bancos de dados geoespaciais.

O Cadastro Nacional de Endereços para Fins Estatísticos – CNEFE, elaborado a partir dos registros de unidades recenseadas em 2000-2007, compreendeu quase a totalidade dos setores urbanos. Esse cadastro prévio de endereços foi associado aos mapas digitais, atualizado por fontes cadastrais diversas e passou por uma conferência nas áreas urbanas, etapa denominada de Pré-Coleta, para posterior inclusão no computador de mão para a coleta, permitindo ao recenseador se orientar melhor no percurso que deveria fazer durante o trabalho de campo.

Como o computador de mão estava equipado com GPS, durante os Censos 2007 foram captadas as coordenadas de localização de escolas e estabelecimentos de saúde da área rural, gerando um cadastro com informações sobre essas unidades para integrar e alimentar sistemas de informação de diversos órgãos.


© 2017 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística